Latest Post

Reprodução 

A resolução que mudou as regras de comercialização foi publicada nesta quinta-feira. Remédios não têm eficácia contra a doença comprovada

A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu que o vermífugo ivermectina só poderá ser vendido com receituário médico. Nas últimas semanas, aumentou a procura pelo remédio usado contra vermes e parasitas para prevenir a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, mesmo sem evidências de que o medicamento funcione.

A resolução que mudou as regras de comercialização foi publicada nesta quinta-feira (23/7) no Diário Oficial da União. O texto é assinado pelo diretor-presidente da agência, Antônio Barra Torres.

Além do vermífugo, a Anvisa proibiu a venda sem receita médica dos medicamentos cloroquina, hidroxicloroquina e nitazoxanida (Annita). Todas essas drogas passaram a ser usadas como possíveis tratamentos contra a Covid-19. As pesquisas científicas não comprovaram os efeitos.

Os principais organismos internacionais, como a Organização Mundial da Saúde (OMS), não recomendam o uso antes de resultados mais robustos das pesquisas científicas e aponta paras os riscos de efeitos colaterais e complicações adversas.

A mudança promovida pela Anvisa não se aplica aos medicamentos à base de cloroquina distribuídos no âmbito de programas públicos governamentais. O texto ressalta que as medidas de controle para os medicamentos se devem em virtude da Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional (ESPII) relacionada ao novo coronavírus.
“A prescrição dos medicamentos que contenham substâncias constantes do Anexo I desta resolução deverá ser realizada em receituário privativo do prescritor ou do estabelecimento de saúde, sem a necessidade de modelo de receita específico”, diz a Anvisa.

Novas regras

A receita deve ser prescrita de forma legível, sem rasuras, em duas vias e contendo dados obrigatórios como identificação do médico, endereço do consultório número da inscrição no Conselho Regional de Medicina, identificação do paciente, endereço completo, nome do medicamento ou da substância prescrita sob a forma de Denominação Comum Brasileira (DCB), dosagem ou concentração, forma farmacêutica, quantidade (em algarismos arábicos e por extenso) e data da emissão.

Fonte: Juína News

Reprodução 

Dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) apontam que até a tarde desta quinta-feira (23), foram registrados 41.016 casos confirmados de Covid-19 e 1.498 mortes em decorrência da doença em Mato Grosso.

Nas últimas 24 horas, foram notificadas 24 mortes e mais de 2 mil novos casos confirmados.

Do total de infectados pelo novo coronavírus no estado, 17.773 estão em monitoramento e 21.745 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 281 internações em UTIs públicas e 432 em enfermarias públicas.

Conforme o boletim da SES-MT, a taxa de ocupação está em 88,42% para UTIs adultas e em 52,88% para enfermarias.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19, estão Cuiabá (9.006), Várzea Grande (3.111), Rondonópolis (2.705), Lucas do Rio Verde (2.362), Tangará da Serra (1.763), Sorriso (1.557), Primavera do Leste (1.514), Sinop (1.417), Nova Mutum (1.137) e Pontes e Lacerda (817).

O documento ainda aponta que um total de 39.419 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam cerca 2.213 amostras em análise laboratorial.

Os pacientes são devidamente acompanhados pelas equipes de Vigilância Epidemiológica do Estado e dos municípios.

Fonte: G1 MT


Menino de 2 anos é internado em UTI por maus-tratos dos pais — Foto: Divulgação
Uma criança de 2 anos foi internada na UTI Pediátrica da Santa Casa de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, na quarta-feira (22) com traumatismo craniano, marcas de queimaduras de cigarro e fraturas nas costelas, que teriam sido causados pelos pais dela, suspeitos de maus-tratos.

De acordo com o Conselho Tutelar, o Samu foi chamado para atender uma criança em uma residência no Bairro Parque Universitário, pois ela estaria engasgada.

O menino foi encaminhado para o Hospital Regional de Rondonópolis. A equipe avaliou que a criança sofreu traumatismo craniano e que precisava passar por cirurgia.

Durante o atendimento, os médicos também notaram que a vítima apresentava várias marcas parecidas com mordidas, além de marcas de queimaduras de cigarro e lesões nas costelas.

O Conselho Tutelar foi informado pelos médicos que os maus tratos devem acontecer há muito tempo, pois algumas fraturas já estavam calcificadas.

De acordo com o boletim médico, até o momento, o estado de saúde da criança, que continua na UTI, é grave.

A mãe do menino, de 25 anos, e o padrasto, de 23 anos, foram conduzidos para Central de Flagrantes, ouvidos pelo delegado e autuados em flagrante pelo crime de maus tratos.

A mãe foi encaminhada para a Cadeia Pública Feminina do município e o padrasto para a Penitenciária da Mata Grande.

O casal é de Alagoas e está em Rondonópolis há cerca de três meses. Eles não possuem outros filhos.

Fonte: G1 MT

Carro da polícia capotou em avenida durante ocorrência — Foto: Polícia Militar
Um policial militar fraturou o braço ao capotar a viatura a cair em uma valeta entre a Avenida dos Pinheiros com a Rua Ênio Pepino, em Sinop, no norte do estado. O acidente ocorreu na noite dessa quarta-feira (22) durante uma tentativa de abordagem

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o motorista do carro de polícia tentou desviar de um ciclista na avenida, mas perdeu o controle do veículo e acabou fraturando o braço esquerdo.

Outros três policiais estavam na viatura, mas não tiveram ferimentos graves. Eles foram retirados do carro e encaminhados ao pronto-socorro.

No local, o policial que dirigia o veículo passou por cirurgia no braço e os outros três foram liberados.

Fonte: G1 MT

Reprodução 

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quarta-feira (22), 38.931 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 1.474 óbitos em decorrência do coronavírus no estado e 42 mortes nas últimas 24 horas.

Foram registradas 1.502 novas confirmações de coronavírus no estado. Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 293 internações em UTIs públicas e 408 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 87,96% para UTIs adultas e em 49,94% para enfermarias.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19, estão Cuiabá (8.459), Várzea Grande (2.932), Rondonópolis (2.575), Lucas do Rio Verde (2.160), Tangará da Serra (1.700), Sorriso (1.472), Primavera do Leste (1.459), Sinop (1.333), Nova Mutum (1.067) e Pontes e Lacerda (812).

O documento ainda aponta que um total de 38.774 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam cerca 2.421 amostras em análise laboratorial. 

Fonte: G1 MT

Os profissionais de saúde que receberão a verba atuam no combate à Covid-19 em Mato Grosso — Foto: Mayke Toscano/Secom-MT
A verba indenizatória extraordinária aos profissionais que atuam no atendimento aos casos da Covid-19 deve ser paga a 1.000 profissionais da saúde, de acordo com dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

A lei entrou em vigor nessa terça-feira (21) e também cria uma indenização excepcional dos profissionais da saúde que possuem contrato temporário com a Secretária Estadual de Saúde (SES).

A verba extra vai ser paga aos servidores efetivos, comissionados e contratados temporariamente que estejam efetivamente prestando serviços e potencialmente expostos ao contágio pelo coronavírus.

O valor da indenização será pago mensalmente, enquanto estiver em vigor o estado de calamidade. 

Tabela mostra o valor que cada profissional irá receber — Foto: Secom-MT/Divulgação 

Além disso, a nova lei prevê que os profissionais de saúde contratados temporariamente pela SES-MT em regime de trabalho de plantão, que necessitem ser afastados de suas atividades em razão da contaminação pelo novo coronavírus, terão direito, por 14 dias de afastamento e durante o período de recuperação fica garantido o recebimento da remuneração, sendo permitida a prorrogação do direito de recebimento pelo período que perdurar o afastamento por recomendação médica.

Mato Grosso já registra até essa terça-feira (21), 37.429 casos confirmados da Covid-19, sendo notificados 1.432 óbitos em decorrência do coronavírus no estado.

Fonte: G1 MT

Buraco estava sendo feito para fuga de presos da Cadeia Pública — Foto: Sesp-MT/Divulgação
Os agentes da Cadeia Pública de Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá, encontraram, na segunda-feira (20), um buraco na parede de uma das celas que dá acesso à rua, com tamanho de 60 cm de largura por 40 cm de altura. A perfuração foi feita pelos próprios presos que planejavam fugir do local.

De acordo com a Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp-MT), foi impedida a fuga de pelo menos 27 homens que cumprem pena na unidade.

Segundo a Sesp-MT, os presos dessa cela são considerados de alta periculosidade e alguns já foram condenados a 30 anos de prisão

O diretor da unidade, Maykon Brasil, informou que o local foi descoberto durante vistoria nas celas.

Os presos, segundo ele, precisariam de 12 a 16 horas a mais para finalizar a abertura do buraco. O material utilizado para furar as paredes são os ferros que compõem a estrutura da cama de concreto.

Os presos envolvidos no caso devem responder processo disciplinar por violação das normas internas da unidade e da Lei de Execução Penal, podendo receber sanção disciplinar que vai desde advertência a suspensão e restrição de direitos.

Na semana passada, ainda durante inspeção, foram apreendidos objetos pontiagudos que são utilizados para fazer buracos nas paredes.

Fonte: G1 MT

Traficantes confrontaram policiais e abandonaram mais de 200 km de droga na região rural de Porto Esperidião — Foto: Gefron

Traficantes confrontaram policiais e abandonaram mais de 200 km de droga na região rural de Porto Esperidião, a 358 km de Cuiabá. De acordo com o Grupo Especial de Segurança de Fronteira (Gefron), os criminosos atiraram ao perceberem a chegada dos policiais. A apreensão ocorreu no final de semana e foi divulgada nessa terça-feira (21).

Eles conseguiram fugir, mas deixaram 221 tabletes de cocaína e maconha.

Uma equipe do Gefron patrulhava a MT-265 quando percebeu uma movimentação suspeita de várias pessoas em uma propriedade. Os suspeitos, ao verem o Gefron, teriam disparado. Houve confronto e os traficantes fugiram em uma mata fechada.

O Gefron encontrou 221 tabletes de droga deixados para trás na propriedade aparentemente abandonada.

Uma caminhonete também foi deixada no local e apreendida junto com o carregamento de droga.

A droga e o veículo foram levados até a Delegacia de Fronteira (Defron) em Cáceres, a 220 km de Cuiabá.

Fonte: G1 MT

Reprodução 

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta terça-feira (21), 37.429 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 1.432 óbitos em decorrência do coronavírus no estado e 46 mortes nas últimas 24 horas.

Foram registradas cerca de 1.756 novas confirmações de coronavírus no estado. Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 346 internações em UTIs públicas e 411 em enfermarias públicas.

A área técnica esclareceu que para calcular a taxa de ocupação de UTI a equipe considerou apenas o número de internações em UTI adulto, que está em 321.

Com isso, a taxa de ocupação está em 88,79% para UTIs e em 50,31% para enfermarias. Dos 37.429 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 16.801 estão em monitoramento e 19.196 estão recuperados.

Dentre os 10 municípios com maior número de casos de Covid-19, estão Cuiabá (8.094), Várzea Grande (2.807), Rondonópolis (2.518), Lucas do Rio Verde (2.092), Tangará da Serra (1.641), Primavera do Leste (1.420), Sorriso (1.413), Sinop (1.253), Nova Mutum (1.011) e Pontes e Lacerda (792).

Fonte: G1 MT

Reprodução
O Prefeito João Balbino agradeceu ao Governo do Estado e comentou que "Temos que unir forças nesse momento. Infelizmente a pandemia agravou a situação das pessoas em vulnerabilidade social".

O Governo de Mato Grosso iniciou a distribuição de cestas básicas e cobertores nos municípios do interior do Estado, na manhã desta segunda-feira (20.07). A entrega de alimentos e produtos de limpeza e higiene faz parte da segunda etapa da campanha Vem Ser Mais Solidário. Já as doações de cobertores são realizadas pelo programa Aconchego. As ações sociais são coordenadas voluntariamente pela primeira-dama do Estado, Virginia Mendes. Já foram entregues quase 5 mil cobertores e mais de 2 mil cestas básicas.

O repasse foi realizado pela equipe da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc), que é responsável por executar as ações sociais do Governo no Estado. Entre os municípios beneficiados foram: Campo Novo do Parecis, Campo Verde; Campos de Júlio; Poxoréo; Rosário Oeste; Reserva do Cabaçal.

A titular da pasta, Rosamaria Carvalho, enfatiza que a intenção é alcançar os 141 municípios de Mato Grosso. “O nosso objetivo é atender os mais vulneráveis, quem realmente precisa. A primeira-dama tem cuidado com uma mão protetora de todos os mato-grossenses que estão fragilizados com o cenário crítico em que vivemos”, pontuou.

Reprodução 

De acordo com o representante do município de Rosário Oeste, Gilmar Rodrigues de Souza, as doações irão atender famílias inscritas no Cadastro Único da Secretaria Municipal de Assistência Social do município.

“A pandemia atingiu todo mundo, mas as pessoas em vulnerabilidade social são as mais prejudicadas. Agradeço ao Governo do Estado por ser acolhedor e nos estender a mão”, disse.

Além dos mantimentos e cobertores, os municípios também receberam máscaras de proteção. A intenção é evitar a propagação do novo coronavírus.

As doações estão disponíveis para todos os demais municípios, que devem priorizar o atendimento das famílias inseridas no Cadastro Único dos Programas Sociais.

Reprodução 

Outras entregas

A Setasc se mantém atenta para as entregas em entidades e instituições. A Associação Espírita Nosso Lar, que promove trabalho social na comunidade do bairro Nova Conquista, em Cuiabá, recebeu 60 kits de alimentos e de produtos de limpeza e higiene. Para a voluntária da instituição, Sandra Marta, as doações irão beneficiar famílias extremamente carentes, que estão sofrendo os efeitos da pandemia.
Reprodução 

A Associação de Moradores do Bairro Nova Conquista também foi beneficiado com cestas básicas que serão repassadas às famílias carentes da região. “Agradecemos a iniciativa do Governo do Estado, da equipe da Setasc e do apoio da primeira-dama”, disse o vice-presidente da entidade, Rogério José dos Reis.

Vem Ser Mais Solidário

A Campanha “Vem Ser Mais Solidário – MT unido contra o coronavírus” já está na segunda etapa e tem como meta distribuir mais de 100 mil cestas básicas nesta segunda fase.

Em pouco mais de dois meses, a ação, que é liderada voluntariamente pela primeira-dama Virginia Mendes, arrecadou mais de R$ 5 milhões em doações, recursos que serão revertidos na compra de mais cestas básicas.

Esses recursos, somados aos investimentos realizados diretamente pelo Governo de Mato Grosso, vão possibilitar a distribuição de aproximadamente 230 mil cestas básicas ao todo, em todo Estado, beneficiando famílias carentes nos 141 municípios, algo em torno de 1,150 milhão de mato-grossenses, tendo em vista que cada cesta é capaz de alimentar uma família com cinco pessoas em média.

Se você quiser ajudar pode doar recursos diretamente na conta bancária especial, aberta exclusivamente para isso: Banco do Brasil, agência 3834-2, conta corrente número 1.042.810-0 (CNPJ 03.507.415/0009-00). Todas as doações serão revertidas para compra de cestas básicas.

Aconchego

O programa “Aconchego”, que já está em sua segunda edição, vai distribuir 200 mil cobertores paras as pessoas mais vulneráveis. No ano passado, foram beneficiadas 100 mil pessoas em todo Estado. E este ano a meta foi dobrada, em razão do aumento de pessoas carentes e em situação de vulnerabilidade social.

Além dos municípios, os cobertores também serão entregues para moradores de rua, comunidades indígenas, entidades filantrópicas e famílias que se enquadram em situação de extrema vulnerabilidade.

Para o cadastro de atendimento, as instituições, entidades e/ou grupos representativos devem enviar um ofício para o e-mail gabinete@setasc.mt.gov.br, com a lista das pessoas que serão beneficiadas, contendo nome completo, CPF, nome da mãe e Número de Identificação Social (NIS).

Fonte: GOV MT

Reprodução 

O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha autorizou o Plano de Retorno Programado às Atividades Presenciais (PRPAP) das Comarcas de vários municípios de Mato Grosso.
A reabertura, de acordo com a Portaria publicada, nesta segunda-feira (20), deve ocorrer de acordo com classificação de risco de cada município, divulgado no boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde.
“Autorizar as comarcas classificadas com risco ‘Baixo’ e ‘Moderado’ relacionadas no Boletim Epidemiológico n. 130, divulgado no dia 16 de julho de 2020, pela Secretaria Estadual de Saúde a iniciar o Plano de Retorno Programado às Atividades Presenciais - PRPAP no âmbito do Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso”, confirma termo do documento.

O presidente do Tribunal de Justiça destaca ainda que as comarcas que iniciarão a Primeira Etapa do PRPAP no dia 27 de julho de 2020 são as seguintes: Diamantino, Água Boa, Alto Araguaia, Comodoro, Paranatinga, Poxoréu, Alto Garças, Alto Taquari, Araputanga, Aripuanã, Cláudia, Colniza, Cotriguaçu, Dom Aquino, Feliz Natal, Guiratinga, Itaúba, Itiquira, Juscimeira, Marcelândia, Nova Canaã Do Norte, Nova Ubiratã, Porto Alegre do Norte, Rosário Oeste, Tabaporã e Terra Nova Do Norte.

Apesar da reabertura, o desembargador determinou que as atividades presenciais nas unidades sejam retomadas de modo gradual e sistemático, levando em consideração as peculiaridades de cada Município. Por isso, na primeira etapa haverá apenas expediente interno, com o retorno exclusivo da presença física dos servidores e colaboradores (estagiários, terceirizados e credenciados), no horário das 13h às 19h, com manutenção da suspensão dos prazos processuais dos processos físicos e híbridos, conforme regime especial estabelecido na Resolução CNJ.
“As demais etapas serão iniciadas no prazo e nas formas definidos na Portaria-Conjunta n. 428/2020, ressalvando que a progressão só será possível se não houver agravamento da classificação do risco epidemiológico nas comarcas relacionadas no art. 2° para Alto ou Muito Alto”.

Caso o número de infectados pelo coronavírus volte a subir sistematicamente, o Tribunal de Justiça não descarta fechar as Comarcas novamente.

FONTE: REPÓRTER MT

7ºBPM

Mais uma vez o famoso vereador "barraqueiro", deu piti e tentou impedir que a prefeitura realizasse serviços no Assentamento Forquilha do Manso, na tarde desta terça-feira (21).

Segundo informações, a viatura de Rosário Oeste foi acionada por autoridades públicas municipais informando que um vereador da região estaria impedindo o trabalho da prefeitura no assentamento Forquilha do Manso.

A equipe foi até o local com apoio da viatura de Nobres e dialogou com as partes. Os operários informaram que estavam realizando reformas na estrada principal mas foram impedidos de continuar pelo vereador.

Este argumentou que a comunidade não precisa da prefeitura, porque ela própria está realizando melhorias na infraestrutura local. Ninguém foi detido. As partes foram orientadas, as máquinas voltaram ao trabalho e as viaturas retornaram ao policiamento urbano.

No período matutino a guarnição de Rosário já havia deslocado no mesmo local, pois o vereador teria coagido os operários a não iniciarem as obras, porém ele não foi encontrado quando da chegada da equipe. Além disso, no dia 29/06/2020 foi registrado o B.O. n° 2020.153229 pelo mesmo ato cometido pelo parlamentar.

Fonte: Nobres Notícias 

Ministério Público do Trabalho de Mato Grosso — Foto: MPT-MT

Chegou a 555 o número de trabalhadores de frigoríficos contaminados pelo novo coronavírus, segundo levantamento parcial obtido pelo Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso (MPT-MT). Os dados são de 14 plantas instaladas no estado que pertencem às empresas JBS S/A, Vale Grande Indústria e Comércio de Alimentos S/A, Agra Agroindústria de Alimentos, Minerva S/A e Marfrig Global Foods.

Os números estão sendo compilados desde o mês passado pelo MPT, a partir de informações solicitadas às empresas e aos órgãos de Vigilância Sanitária. Conforme os documentos apresentados, a confirmações foram obtidas por meio de testes rápidos e RT-PCR.

Destes 555 trabalhadores, 289 são funcionários da JBS. Na unidade de Colíder, o número de trabalhadores com o vírus passou de 7 para 78. Em Pontes e Lacerda, de 3 para 58. Em Confresa, de 1 para 75. Em Araputanga, houve aumento de casos confirmados e comunicados ao MPT: de 1 para 46. Em Alta Floresta, agora são 6 os funcionários que testaram positivo para Covid-19. Em relação às demais unidades da JBS – Pedra Preta, Barra do Garças e Confresa, não foram encaminhadas informações sobre novos casos.

As unidades da Minerva em Mirassol D’Oeste e Paranatinga, que até então não tinham apresentado relação de trabalhadores contaminados pela Covid-19, informaram a ocorrência de 10 (5 em cada uma).

Na planta da Vale Grande em Matupá, passou de 3 para 7 o número de casos confirmados.

Marfrig de Várzea Grande

O frigorífico Marfrig, de Várzea Grande, registrou, até o início deste mês, 145 casos de Covid-19.

A empresa foi a única que firmou, até o momento, em Mato Grosso, Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com o MPT, comprometendo-se a implantar rotina de testagem em todas as unidades. Especialmente quanto à unidade de Várzea Grande, o frigorífico assumiu, no acordo, a obrigação de realizar testagem em massa na planta, que hoje possui cerca de 3 mil funcionários. Com a testagem em massa e detecções posteriores, foram descobertos 91 novos casos. 

Recomendações

O MPT encaminhou, desde o início da pandemia, várias recomendações ao setor frigorífico com o objetivo de orientar as empresas a adotarem medidas para diminuir o risco de exposição de trabalhadores à contaminação pela Covid-19 no ambiente de trabalho.

Os frigoríficos são locais propícios para disseminação do vírus, em razão da elevada concentração de trabalhadores em ambientes fechados, com baixa taxa de renovação de ar, baixas temperaturas, umidade e com diversos postos de trabalho que não observam o distanciamento mínimo apto a viabilizar a segurança durante a prestação de serviços, além da presença de diversos pontos que propiciam aglomerações de trabalhadores: transporte coletivo, refeitórios, salas de descansos, salas de pausas, vestiários, barreiras sanitárias, dentre outros.

Foram analisados diversos documentos encaminhados pelos frigoríficos, como protocolos e planos de ação de enfrentamento da Covid-19, e, no geral, constatou-se que são adotados parâmetros inferiores aos preconizados pelo MPT, inclusive por meio do conteúdo presente em TACs de natureza nacional firmados com outras empresas do setor.

Segundo o MPT, esse padrão protetivo inferior decorre também da adoção de alguns critérios presentes na Portaria Conjunta nº 19/2020, a qual estabelece, em determinados pontos, regras de proteção deficientes em relação à saúde dos trabalhadores, como, por exemplo, a ausência de previsão de afastamento de contactantes de casos suspeitos.

Para o MPT, o estabelecimento de critério restrito para o enquadramento de contactante tende a incrementar e expandir os casos de contaminação nas plantas frigoríficas.

Fonte: G1 MT

Polícia Civil começou investigações após denúncia — Foto: PJC/MT

Uma mulher cubana, de 33 anos, foi levada à delegacia nesta terça-feira (21), por atuar ilegalmente como médica em uma clínica no bairro Morada do Ouro, em Cuiabá. Ela responderá por exercício ilegal da medicina.

As investigações iniciaram depois da equipe da Polícia Civil receber denúncia da atuação ilegal da mulher. Nas redes sociais, ela se apresentava como médica e em Cuiabá, atendia os seus pacientes em uma clínica improvisada dentro de uma academia de artes marciais.

Segundo o delegado da Decon, Rogério Ferreira, todas as informações foram checadas, sendo realizadas diversas ações de investigação e de acompanhamento antes de realizar a detenção da falsa médica, quando ela deixava a sua clínica improvisada.

Na Delegacia, a mulher declarou que é formada em medicina em uma universidade localizada em Las Tunas, em Cuba, porém não se submeteu ao exame Revalida no Brasil, não possui registro no Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso e não faz parte de nenhum programa do Governo Federal, como o “Mais Médicos”.

Diante dos fatos, a mulher que atuava irregularmente assinou Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por exercício ilegal da medicina.


Fonte: G1 MT

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget